Aldeia Sesc de Artes: Público lota quadra para espetáculo circense


A magia do circo e do teatro invadiu a cidade de Nossa Senhora do Socorro. Centenas de estudantes da rede pública lotaram a quadra da Escola Sesc (Unidade Socorro) para assistir ao espetáculo circense “O Grande Circo Gentil”, apresentado pela Companhia Gentileza de Artes Integradas (Cigari). O espetáculo aconteceu na tarde de quarta-feira, 23 de agosto, e fez parte da programação do Aldeia Sesc de Artes.

No roteiro, a palhaça Vovó Barbada, matrona do Grande Circo Gentil, tem um plano para melhorar a situação do circo, que não vai bem. Assim, dá-se início à jornada da família Gentil em busca dos laços que sustentam sua lona e sua família. O espetáculo é recheado com muitas brincadeiras, malabares, acrobacias nas argolas e tecidos, monociclo e interação com o público.

 

“O Grande Circo Gentil” estreou em julho do ano passado e, desde então, já percorreu diversos municípios sergipanos e se apresentou em grandes palcos, como o do Teatro Tobias Barreto. O espetáculo foi um dos contemplados pelo Prêmio César Macieira de Artes Cênicas, da Secretaria de Estado da Cultura, que ofereceu os subsídios para a sua montagem.

A atriz Julia Caianara, intérprete da palhaça Joana Barraqueira, destacou a oportunidade de participar da Aldeia Sesc de Artes. “Nós sempre nos apresentamos na Aldeia. Já trouxemos os espetáculos A Caixa de Brinquedos, A Máquina, Deixe-me-a-ma-la, já fizemos leituras dramática. A gente gosta de fazer parte da Aldeia porque o Sesc é uma das poucas entidades que ainda fomentam a cultura de forma assídua. Em todos os seus projetos o Sesc leva em consideração a importância da cultura para as crianças, adultos, idosos, enfim, para a sociedade em geral”, declarou Julia.

Segundo o supervisor de Cultura do Sesc Socorro, Claudio Pinto, a arte milenar circense não poderia ficar de fora da programação do evento. “A realização da Aldeia Sesc contempla toda linguagem artística: a dança, a música, o teatro, a literatura, a cultura popular, e a gente sempre pensa no circo, porque é uma arte rica, milenar, e o público gosta. E neste ano tivemos a oportunidade de trazer O Grande Circo Gentil, através da Cigari, que é um espetáculo delicioso, divertidíssimo e para todas as idades”, disse o supervisor.

Todas as idades

De fato, o espetáculo circense encantou um público de diversas faixas etárias. Desde as crianças dos colégios estaduais Fontes Freitas e Agda Ferreira, da Escola Sesc Socorro, e jovens atendidos pelo projeto Tenda Cultural (N. Sra. Do Socorro) e pelo Serviço de Convivência e Fortalecimento de Vínculos (Malhador), até os idosos que frequentam os grupos da terceira idade do Sesc Socorro.

Foi o caso da professora aposentada Tereza Nogma, atraída pela movimentação do circo após uma aula de artesanato. “Minha alegria no tempo de juventude era ir ao circo, mas hoje em dia ele está um pouco esquecido. O Sesc está de parabéns por trazer o circo de volta e colocá-lo novamente em evidência. O espetáculo foi muito divertido”, avaliou Tereza.

A orientadora pedagógica Givanete Serafim também enalteceu a beleza da arte circense. “Trazer o circo para as crianças é muito bom porque é diferente do que elas têm acesso no dia a dia. O circo é um mundo encantador, colorido, mágico. As crianças amam e os adultos também. É uma arte que não pode acabar”, declarou.

As crianças também ficaram encantadas com as peripécias das palhaças Joana Barraqueira, Mingau Mole e Vovó Barbada. A exemplo das alunas da Escola Sesc Socorro Flávia Beatriz, 10 anos, e Maria Luiza, 9 anos. “Foi muito legal, e o que eu mais gostei foi o tecido acrobático”, disse Flávia. “Não costumo ir ao circo e achei muito divertido. O que eu mais gostei foi a palhaça de laranja porque ela é a mais engraçada”, apontou Maria Luiza